Acontece no CEV - Lucas Reis, estudante CEV e triatleta, busca apoio para ir a campeonato mundial. Confira essa bela história e ajude a tornar esse sonho possível! CEV Vestibulares

CEV Vestibulares

Acontece no CEV

Lucas Reis, estudante CEV e triatleta, busca apoio para ir a campeonato mundial. Confira essa bela história e ajude a tornar esse sonho possível!

Um sonho realizado empresta à vida uns quês a mais de cor e sentido. Por isso, toda luta que é buscada (na tentativa de se concretizar metas, grandes ou pequenas) se faz tão importante, nobre, necessária. E o estudante do MedCEV D Lucas Reis parece levar muito a sério tais premissas, na medida em que não poupa esforços visando uma chance de ter mais uma linda e inspiradora história para contar com relação à sua vivência esportiva.

Início no Triathlon

Não foi por acaso que Lucas passou a andar de mãos dadas com o esporte. Mas, seu ingresso no universo do Triathlon (especificamente) teve sim uma colaboração grande do destino: “Eu era atleta de natação (porque era um jovem muito agitado e o esporte lhe veio como uma chance de melhorar nesse quesito). Quando passei para natação competitiva eu comecei a viajar para outros estados e, com 10 anos de idade, eu já estava bem na natação. Com 12 eu conheci o Triathlon através do meu técnico de natação (que já era praticante)”. Por ser um indivíduo sempre movido por desafios, Lucas logo acatou a sugestão do seu treinador, e as consequências dessa mudança foram as melhores possíveis: “Comecei no Triathlon mais para ter um hobby, até então nunca havia pensado em levá-lo tão a sério. Mas, com uns meses de treinamento eu comecei a ter resultados muito bons. Na minha primeira viagem (que foi para Manaus, por ocasião do Campeonato Brasileiro daquele ano) eu já consegui uma vaga para o mundial dos EUA”. A partir dali, sua paixão pela modalidade se tornou imensa: “É um esporte diferente, no qual, a cada dia, você tem a possibilidade de descobrir (redefinir) o seu limite”, assegura.

Desafios diários  

Como há de se imaginar, o dia a dia de Lucas não se restringe, logicamente, aos seus afazeres esportivos. Por isso, muita disciplina e dedicação são necessárias no intuito de que seu sonho de cursar Odontologia também se torne realidade ao mesmo tempo em que luta para seguir os caminhos mais exitosos no Triathlon: “Minha rotina é bem difícil, pois o Triathlon exige muito. São trabalhadas quatro modalidades: natação, ciclismo, corrida e musculação. Então, acaba que é muito intenso, muito puxado, muito cansativo. E conciliar com os estudos é mais difícil ainda. Mas, eu penso que quando a sua vontade de vencer é maior (do que as dificuldades) não há limites que nos parem. Se a cada dia eu posso redefinir o meu limite no esporte, por que não posso fazê-lo com relação aos meus limites no estudo?”, questiona.  

Grandes obstáculos

Além dos EUA, Lucas já conseguiu vagas anteriores para competições em países como Holanda, México e Austrália. Mas, sua presença nem sempre foi confirmada por causa da escassez de apoios, patrocínios: “Além de se preocupar em ser classificado, você tem que se preocupar em arcar com todas as despesas. Quando não consigo ir, eu me frustro muito. E dessa vez eu acabei fazendo diferente. Eu mesmo comprei as minhas passagens, e saí pedindo ajuda. Toda colaboração é bem-vinda”, relata. Pensando nisso, Lucas começou uma campanha para arrecadação de fundos na internet que visa o custeio das despesas referentes à sua ida para o seu próximo desafio, o mundial da modalidade na Suíça, mais precisamente na cidade de Lausanne. O evento acontecerá nos dias 31 de agosto e 01 de setembro e as expectativas de Lucas com relação ao mesmo não poderiam ser melhores: “Esse ano eu estou conseguindo as minhas melhores performances (tanto nos âmbitos esportivo e psicológico, quanto àquele que se refere aos estudos). Antes eu não estava conseguindo porque estava estudando à tarde (o que tornava mais difícil a conciliação das suas atividades), e aí, quando eu passei para o turno da manhã, melhorou muito. Estou muito bem preparado para o mundial, pois é a minha prova alvo. Há muitas pessoas que confiam em mim. E a cobrança também é muito grande da minha própria parte. Eu me cobro tanto nos estudos, como nos treinos, sempre no intuito de dar o meu melhor”, garante.

Desagradável surpresa

Como se não bastasse, em não raras oportunidades ainda surgem problemas de última hora, como o que aconteceu com relação ao valor da inscrição para o mundial. De início, o mesmo havia sido fixado em R$ 1.600,00. Contudo, por causa de um contratempo referente a outra competição, resolveu-se determinar que as inscrições do mundial da Suíça fossem feitas no Brasil, o que acabou gerando um acréscimo nessa conta, que, por sua vez, passou para R$ 1.825,00, valor esse que deve ser pago até o dia 12/07: “Eu não tenho esse dinheiro. Mas, estou correndo atrás, vendo o que posso fazer. É uma coisa que ninguém estava esperando. E isso machuca muito”, ressalta.   

Importante desabafo

São muitos os “nãos” que Lucas vem recebendo ao longo da sua trajetória. Mas, seu amor pelo esporte faz com que ele persevere nessa luta, por si e pelos (as) outros (as) que, a exemplo dele, sonham em fazer história no esporte: “Eu quero que o esporte no Piauí seja mais valorizado. Há muitos atletas bons que não são reconhecidos, atletas que deveriam ter apoio do governo e não têm. Paralelo a isso, há muitas pessoas que não têm essa necessidade, mas que terminam usufruindo de vagas que não deveriam ser delas”, pontua. 

Ajude a tornar esse sonho possível!

Em 2018 (para citar as conquistas mais recentes) Lucas foi o 4º colocado no “Campeonato Panamericano de Triathlon”, realizado em Brasília – DF; foi o 1º colocado no “Duathlon Princípio Ativo”, realizado em Teresina – PI; foi o 9º colocado no “Campeonato Brasileiro de Triathlon Olímpico”, realizado no RJ, e conseguiu sua convocação para o “Mundial de Triathlon”, em Lausanne, na Suíça. Logo, se você quiser ajudar Lucas a ter a chance de aumentar seu já vasto conjunto de vitórias, basta acessar o link http://cev.bz/LucasReis e contribuir com o que lhe for possível. Lucas e o esporte brasileiro (como um todo) agradecem!