Blog - Conheça as cinco competências cobradas na prova de Redação do ENEM e fique mais perto da nota 1000 CEV Vestibulares

CEV Vestibulares

Blog

Conheça as cinco competências cobradas na prova de Redação do ENEM e fique mais perto da nota 1000

A redação costuma ser um problema na vida de muitos vestibulandos. E a preparação de um bom texto no ENEM vai muito além de muita leitura e muita prática no universo da escrita: cinco competências são cobradas e servem de critérios de avaliação. Você está por dentro de todas? O CEV Vestibulares lhe ajuda nisso. Vale ressaltar que cada uma das competências em questão pode ser avaliada em 0, 40, 80, 120, 160 ou 200 pontos.

A primeira competência diz respeito ao domínio da escrita formal da língua portuguesa. Ou seja, é necessário que o candidato fique muito atento às regras de ortografia, acentuação, uso de hífen, ao emprego adequado de letras maiúsculas e minúsculas e vá bem em divisão silábica. Além disso, são analisadas a regência verbal e nominal, concordância verbal e nominal, pontuação, paralelismo, emprego de pronomes e crase.

Segunda competência: compreender o tema e não fugir do que é proposto. Através disso é possível avaliar as habilidades integradas de leitura e de escrita do candidato.

Terceira competência: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. Espera-se que o candidato exponha uma ideia clara e que saiba defendê-la por meio de argumentos bem fundamentados.

Quarta competência: conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. Esse ponto diz respeito à estruturação lógica e formal acerca das partes que irão compor a redação. Coerência – especialmente nesse contexto – é peça-chave para que se obtenha uma boa pontuação.

E a quinta (e última) competência se refere ao respeito aos direitos humanos. Ou seja, o candidato tem a chance de exercitar o senso de cidadania, propondo intervenções para o problema apresentado pelo tema da redação que possam ser plenamente compatíveis com os direitos humanos.