CEV Concursos

Blog

Conheça: Prof. Wagner Filho

O talento para ser professor sempre esteve em seu DNA, e sua predileção pelo universo dos números lhe veio bem cedo. Ele vê na família seu maior motivo para seguir em frente, e tem consciência de que o futuro lhe reserva uma enormidade de boas surpresas, todas elas, claro, garantidas pelo seu próprio esforço e pela ajuda daqueles que o amam. Esse é o professor Wagner Filho, amante da Matemática e um cara cheio de histórias inspiradoras para contar.

“Quando nasci meus pais moravam com meus avós paternos e quando eu tinha por volta de 11 a 12 anos eles compraram uma casa no Conjunto São Paulo (conhecido como Curva São Paulo). Nessa época me despertou a vontade de ganhar um dinheirinho, e ao ver meus amigos vendendo dindim, comecei a vender também. Talvez daí tenha iniciado a minha habilidade com os números. Sempre gostei de matemática, física e principalmente química, acredito que se não fosse professor de matemática seria de química”, afirma, relembrando como se deu o início do desenvolvimento da sua vocação.

Amizades verdadeiras sempre marcaram firme presença em sua trajetória profissional, a qual sempre foi marcada por uma sucessão de grandes progressos ao longo dos anos: “Tenho a sorte de ter bons amigos, que sempre enxergaram potencial em mim, e alguns destes me ajudaram a iniciar minha carreira profissional. Em 2003, assim que completei 18 anos, logo no segundo período da Universidade, um amigo me indicou para uma escola no centro da cidade, onde dei aula para o ensino fundamental maior. Em 2006, nessa mesma escola, conheci um professor que me indicou para um preparatório para concursos. Já em 2012 o professor Antônio Luiz, na época coordenador do CEV Concursos, falou em sala de aula que estava com problemas com professor de matemática e perguntou “brincando” se alguém conhecia um bom professor para indicar. Uma aluna, que por sinal é uma grande amiga minha, disse que conhecia. Ele pegou meu número e me ligou, me convidando então para assumir uma turma do Banco do Brasil no CEV Concursos. Em 2013 eu dividi turma com o Professor Neto Ceará, que me convidou para fazer parte da equipe também do colégio. Hoje, é com muito orgulho e satisfação que faço parte dessa equipe de excelência que é o grupo CEV”, relembra.

Além dos bons amigos, Wagner também se viu cercado por muita gente que fez das salas de aula alguns dos seus melhores lugares no mundo. Tal fato, claro, também foi importante para a escolha profissional que, um tanto mais à frente, ele teve que concretizar: “Venho de uma família de muitos professores, talvez esteja no sangue. O magistério é algo fascinante. Quando se começa nele, se sente o gostinho, é difícil sair. Eu achava que seria contabilista, mas, não tenho dúvidas de que nasci para lidar com pessoas, muitas pessoas, e não ficar trancado em um escritório frente a um computador”, assegura.

Mesmo com todas as dificuldades típicas da profissão, Wagner sabe que o ato de lecionar representa algo que vai muito além do simples exercício de uma atividade profissional. A Educação é uma grandeza transformadora de vidas, e ele se orgulha em poder fazer parte disso: “Infelizmente nosso país não valoriza seus professores como deveria, mas sou muito realizado com minha profissão, que faz com que me doe, me entregue e, assim, tenha a oportunidade de mudar a vida das pessoas. É fascinante ver o crescimento, a conquista de tantos alunos, e principalmente saber que fiz parte dessas histórias. Já conquistei muito através da minha profissão, mas tenho certeza que ainda posso alcançar muito mais. Quando olho para meu passado, de muitas dificuldades, e vejo que hoje estou professor do 3º ano e pré-vestibular do maior grupo educacional do Estado e do maior preparatório para concursos, tenho a sensação de que tudo valeu a pena”, garante.  

Sobre a família, sua maior fonte de motivação e inspiração, Wagner não para de receber boas notícias, como a que houve no início desse ano. No dia 03 de dezembro de 2013, ele ganhou seu “primeiro maior” presente, Heitor Soares, seu filho. No dia 16 de janeiro de 2018 veio seu “segundo maior” presente, o caçula João Lucas. Como é possível alguém ter “dois maiores” presentes? Wagner esclarece: “A matemática me ajuda a explicar: Nesse caso o amor é infinito e o infinito não temos como mensurar. Não tenho dúvida de que minha família é minha maior motivação, meu alicerce, meu porto seguro. Minha família faz com que eu sempre tente me superar e queira ser a cada dia melhor, tanto do ponto de vista humano, como profissional”, finaliza, orgulhoso.  

Gostou? Pois, nos diga que outras histórias você quer conhecer acerca dos nossos professores! Sua sugestão é muito importante para nós, e, em breve, pode ser concretizada aqui neste espaço!