Blog - Conheça: Prof. Ramon Patrese CEV Concursos

CEV Concursos

Blog

Conheça: Prof. Ramon Patrese

Ele tem uma história de vida das mais inspiradoras. Vindo de família humilde, foi instruído, desde cedo, a desenvolver enorme senso de gratidão mesmo nas situações mais difíceis. Com muito esforço, foi colecionando aprovações em grandes concursos, (com alguns primeiros lugares, inclusive), e legitimando seu nome no segmento educacional do Estado: esse é Ramon Patrese, ou, “Ramonstro”, como é conhecido por seus alunos.

Nascido em 02 de julho de 1988, natural de Teresina PI, Ramon é formado em Direito (com especialização em Orçamento e Contabilidade Pública). O primeiro cargo público que assumiu disse respeito ao posto de Técnico Judiciário – Técnico em Contabilidade no Tribunal de Justiça do Estado do Piauí. Nesse concurso, ele garantiu o primeiro lugar, sendo que havia apenas uma vaga disponível. Após 3 anos no TJPI, passou no concurso do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes – DNIT – para o cargo de Analista Administrativo, mais uma vez em primeiro lugar, tendo em vista que o concurso também ofertava apenas uma vaga. Atualmente é servidor efetivo da Secretaria de Fazenda do Estado do Piauí, no cargo de Analista do Tesouro Estadual, tendo obtido aprovação no concurso realizado em 2015. Além de trabalhar em cargos públicos, foi professor de graduação e de pós-graduação até chegar ao Grupo CEV (em 2014), instituição na qual pode iniciar sua “saga” de professor de preparatório para concursos, ministrando as disciplinas de Direito Administrativo e Legislação Específica.

Logicamente, tamanho sucesso não poderia ter se dado por força do acaso. Longe de ter condições ideais a sua disposição (visando sua melhor preparação), Ramon encontrou força na convicção de que, apesar dos pesares, sempre foi mais do que capaz de realizar seus sonhos: “Meu objetivo, desde o início da graduação, foi a aprovação em concursos públicos. Fiz vários certames. No início tive muita dificuldade na preparação, tendo em vista que não tinha recursos para me preparar com mais eficiência. Então fiz uma preparação com bastante dificuldade. Com o tempo fui aprendendo o que estudar e como estudar. Eu (sempre) tinha um objetivo bem definido, que era a aprovação. Depois de muita dedicação e “sangue nos olhos”, obtive minha primeira aprovação em 2009, no TJPI. De lá para cá, fiz diversos outros concursos obtendo aprovação no DNIT, SEFAZ-PI, TCE-PI, OAB. Foi uma caminhada bem difícil, mas, que, ao final, valeu bastante a pena”, relata.

Ramon teve as fases da infância e da adolescência marcadas por muitas dificuldades financeiras. Seus pais eram “camelôs” no centro de Teresina, e toda sua vida escolar se deu em instituições públicas. Mas, sempre com muita garra, ele foi conseguindo deixar para trás cada obstáculo que, a ele, se apresentava: “Muitas vezes, não tinha sequer dinheiro para pegar o ônibus. Passei para Direito com bolsa do PROUNI e agarrei a oportunidade. Assim que saí do ensino médio e comecei a graduação pensei: “O que será do Ramon Patrese?”. Não haviam empresários ou políticos na família, e meus talentos para o futebol e para a música eram péssimos (diz, com bom humor). Foi quando eu pensei que a saída para aquela situação de extrema vulnerabilidade seria o concurso público. Após muito estudo e dedicação, passei no meu primeiro concurso em 2009, com apenas 21 anos de idade (quando fazia o 5º período de Direito). Aquele foi só o início da carreira de concursos do menino que saiu da periferia de Teresina rumo às aprovações nos maiores certames do Piauí e, que, hoje, pode compartilhar toda essa experiência com alunos que também almejam aprovações em concursos públicos”, afirma.

Nesse sentido, sobre o ato de lecionar, Ramon se mostra um profissional mais do que realizado, feliz: “Dizem que você faz o que gosta quando o tempo passa muito rápido! E é essa a sensação que tenho quando estou em sala de aula, principalmente quando se trata de preparação para concurso público. Ser professor é muito gratificante, pois além de você compartilhar suas experiências com os alunos, e prepara-los para enfrentar o mundo dos concursos, você como professor aprende cada vez mais a cada aula que leciona. Como ocorre em toda profissão, logicamente existem algumas dificuldades no seu exercício, tais como problemas na voz (que, algumas vezes, não suporta a quantidade de aulas), e o cansaço natural decorrente do ritmo da rotina, principalmente quando sai um edital na praça. Todas essas dificuldades são superadas quando você recebe aquele Whatsapp ou Direct de um aluno agradecendo pela aula ministrada, mandando o registro da assinatura do termo de posse no cargo público, convidando para o churrasco, etc. Gratidão é a palavra que mais nos acompanha na carreira de professor de preparatório para concursos”, garante, orgulhoso.

A base familiar, como não poderia deixar de ser, sempre deteve uma grande relevância nessa bela trajetória de sucesso protagonizada por Ramon: “A família tem um papel fundamental em todo processo que nós chamamos de vida. Na minha teve um significado importantíssimo. Meus pais são uma inspiração para mim, batalhadores que enfrentam as dificuldades sem sequer reclamar, pelo contrário. Eles me ensinaram a agradecer por tudo, até mesmo em momentos de dificuldades. Tive um momento muito difícil de vida, quando fiquei viúvo com apenas 25 anos. Mas mesmo diante dessa dificuldade, entre um tratamento médico e outro, eu buscava forças para estudar para concurso público. Foi quando obtive aprovação no DNIT. Hoje tenho um filho maravilhoso de 5 aninhos, Rafael Patrese, que enche nossa vida de alegria”, diz.

Como se não bastasse ser professor, servidor público e advogado, Ramon é também quadrilheiro! Isso mesmo. Consciente e solidário, ele vê nessa arte popular uma chance não só de se divertir, mas, principalmente, de ajudar pessoas: “Sou Diretor do Grupo Cultural Junino “Luar do São João”, de Teresina/PI, que detém vários títulos estaduais e nacionais! Sou um amante da cultura junina e estou à frente de um grupo composto por 150 jovens que também amam a cultura junina e levam entretenimento aos festivais juninos do Nordeste. Nos meus horários vagos estou lá organizando tudo para a maior festa popular do Brasil, que é o São João. Além de levar alegria com os espetáculos juninos, a “Luar do São João” tem um papel de responsabilidade social e econômico, com a profissionalização de jovens em cursos da área cultural e geração de renda com a confecção de figurinos, cenários, adereços e outras despesas do grupo”, conta.

Para finalizar, Ramon deixa um recado importante para os que desejam obter sucessos parecidos com os que ele pode obter mediante tanta fé e dedicação: “Concurso Público é uma maratona, e como qualquer maratona o que se exige do candidato é preparação. Quem passa em concurso não é o mais inteligente, e, sim, o mais preparado. Lembre-se de nunca se esquecer destas palavras e componentes fortalecedores: Preparação, Tranquilidade, Autoconfiança e Pensamento Positivo. Mantenha o foco e siga com fé rumo a tão sonhada aprovação”, finaliza.

Gostou? Pois, nos diga que outras histórias você quer conhecer acerca dos nossos professores! Sua sugestão é muito importante para nós, e, em breve, pode ser concretizada aqui neste espaço!