CEV Colégio

Acontece no CEV

Encontro com o autor: Enéas Barros debate a obra “O turco e o cinzelador” com estudantes do 8º ano

Que tal descobrir como funciona o processo de construção de uma história, em um bate papo divertido com o próprio criador dela? Os estudantes do 8º ano do CEV Colégio, unidades Frei Serafim e Kennedy, tiveram a oportunidade de tirar todas as dúvidas sobre o livro “O Turco e o Cinzelador” com ninguém menos que Enéas Barros, escritor piauiense que deu vida à obra.

Trabalhado em sala de aula durante dois meses pela professora de literatura, Ravena Monteiro, o livro conta a história da tragédia que marcou a cidade de Teresina, especificamente as portas da Igreja São Benedito, no centro da capital. Para a professora, o momento de encontro com o autor traz novas perspectivas para os alunos sobre o livro estudado. “Foram dois dias deliciosos e gratificantes onde o Enéas teve a gentileza de compartilhar sua sapiência, sua biblioteca de conhecimentos com os alunos. Tenho plena convicção de que eles saíram da palestra alimentados de informações valiosíssimas sobre o nosso Piauí e sobre tantas outras histórias até então desconhecidas”, frisou.

Ravena ressaltou também que a presença do autor estimula os estudantes a buscar novos caminhos dentro da leitura e da escrita, proporcionando, quem sabe, o nascimento de novos talentos. “Creio que esse bate papo serviu não só para discutir a obra, mas para estimular os alunos a criarem seus textos, a pesquisar, a se aprofundar nas histórias que fazem parte do nosso estado”.

Enéas Barros, por sua vez, elogiou a iniciativa do colégio de trazer profissionais do estado, valorizando assim os escritores locais e suas produções. “A maior importância que eu vejo nisso tudo é o colégio adotar autores piauienses, existem escritores no mundo inteiro, mas quando você encontra um colégio que adota um autor da terra, é muito gratificante”.

Outro ponto citado pelo autor é que as histórias trazem mais proximidade a quem as lê, por se passarem em locais conhecidos de todos. “Tive o prazer de fazer uma história que se passa em Teresina, que é onde esses estudantes moram e essa interação é muito boa para que eles possam entender a história da própria cidade. Enquanto existirem colégios como o CEV, valorizando o autor local, mais oportunidades como essa existirão e os alunos terão mais oportunidades de conhecer outro tipo de literatura e outros tipos de histórias”.