Acontece no CEV - CEV, amigos, sorvete e Netflix! A 1ª colocada em Medicina na UESPI explica a fórmula da aprovação CEV Colégio

CEV Colégio

Acontece no CEV

CEV, amigos, sorvete e Netflix! A 1ª colocada em Medicina na UESPI explica a fórmula da aprovação

Com apenas 15 anos, a estudante Maria Eduarda Albuquerque conquistou a primeira colocação de um dos cursos mais concorridos do Estado – o curso de Medicina da Universidade Estadual do Piauí - no Sisu 2019, cujo resultado foi divulgado no último dia 28 de janeiro. O sonho de ser docente e pesquisadora levaram a jovem estudante a uma rotina de 10 horas diárias de estudo, mas sem deixar de lado o prazer de estar com a família e os amigos, suas séries favoritas e, claro, o sorvete.

No CEV desde o 1º ano do Ensino Médio, Dudinha – como é chamada carinhosamente por professores e colegas – afirma que nunca estudou até a exaustão e que não recomenda a prática. “O segredo é ter as suas horas de distração, planejar o seu horário de estudo e a sua vida. Eu não estudava 12, 14 horas por dia, nem até cansar e dormir em cima dos livros, a questão é usar o tempo de maneira inteligente e eficiente”, completa a estudante que durante o horário de aula evitava conversas paralelas em sala e focava em prestar atenção na aula, anotando tudo o que o professor falava.

Em casa, a estudante afirma que focava em revisar o conteúdo aprendido e responder questões. “Esse é um grande diferencial do CEV, ter um módulo de questões que nos propicia um momento de estudo ativo e contato com um modelo de questões no estilo do Enem”, frisa.

Maria Eduarda destaca ainda as aulas preparadas pelos professores com foco específico para o estudo do Enem. “Além dos simulados feito pela escola e das questões, eu ainda focava nos conteúdos mais frequentes na prova, porque não adianta o aluno querer aprender tudo o que os livros trazem, a questão é se o conteúdo cai mais no Enem. E, os professores do CEV fazem isso muito bem, focando no que cai mais na prova”.

Ansiedade

Ao falar sobre ansiedade, Maria Eduarda conta que no período anterior à realização da prova do Enem, mal conseguia dormir. A estudante aproveita para falar da importância do suporte psicológico e do equilíbrio entre estudos e distrações. “É muito importante ter equilíbrio entre estudo, horas de sono (as horas de sono são importantíssimas), convívio com os amigos e a família e atividade física, se possível, porque ajuda muito a desestressar e a fixar o conteúdo estudado, além de liberar neurotransmissores relacionados à felicidade”, afirma a estudante que fazia hidroterapia para aliviar as dores decorrentes de uma fibromialgia. 

Por conta da síndrome e da rotina de estudos, a aprovada também teve que abdicar de momentos fora de casa, como idas ao cinema e passeios. Foi com a ajuda da terapia, filmes, series, conversas com as amigas e muito sorvete, que ela conseguiu superar a ansiedade e o cansaço. “Esse ano tive que abrir mão de ir ao cinema por exemplo, por conta da fibromialgia, mas eu chamava minhas amigas pra minha casa e aproveitava bem esses momentos de descontração. Esse é o segredo, quando você tá estudando, você estuda, e quando você tá se divertindo, você nem lembra do estudo”.

Futuro

Apesar da conquista, Maria Eduarda afirma que ainda há muito caminho para trilhar, pois seu grande sonho é a docência. “Eu quero fazer mestrado, doutorado e pós-doutorado. Eu amo ensinar, é fantástico. Eu quero formar médicos humanos que vão cuidar da comunidade de maneira muito próxima, humanitária, vendo seres humanos e não só doenças e problemas”.

Para finalizar ela conta quem são seus grandes exemplos. “Os professores do CEV me inspiraram muito, quero poder ser metade do que os meus professores foram pra mim. Eu quero poder fazer a diferença na vida dos meus alunos”!