Blog - Uso de repelente em crianças: saiba mais! CEV Baby

CEV Baby

Blog

Uso de repelente em crianças: saiba mais!

O Aedes aegypti apesar de pequeno, no máximo 1 cm de comprimento, é capaz de um grande prejuízo à saúde já que é capaz de transmitir os vírus da Febre Amarela, Dengue, Zica e Chikungunya.

É um mosquito urbano, próprio das regiões tropical e subtropical (gosta de calor e chuvas), tem um ruído quase imperceptível e para piorar, sua saliva possui uma substância anestésica, que torna quase indolor a picada. Esperto, não é?

Para evitar a proliferação dos Aedes devemos acabar com os seus criadouros, ou seja, evitar todo e qualquer acúmulo de água parada, seja em tampas, pneus, calhas. Cobrar o cuidado de vizinhos, familiares e dos órgãos públicos quanto a limpeza dos terrenos abandonados.

Uma vez que o mosquito já existe, o que fazer?

  1. Proteção mecânica: roupas longas, com tecido de trama mais fechada e mais grossos;
  2. Manter janelas fechadas nos períodos de nascer e pôr do sol, isso diminui a entrada de mosquitos;
  3. Os repelentes elétricos são uteis e diminuem a entrada de mosquitos quando colocados próximo a janelas e portas. Cuidado com repelentes líquidos que podem ser tomados pelas crianças e acidentalmente ingeridos;
  4. Uso de repelentes: os repelentes atuam formando uma camada de vapor com odor que afasta os insetos. Devem ser utilizados ao longo do dia, em passeios ou em casa, sendo evitado seu uso durante o sono ou períodos muito prolongados.

Cuidados para uso dos repelentes:

  • NUNCA aplicar nas mãos das crianças. Elas levam as mãos aos olhos e bocas, podendo ter reações adversas;
  • NÃO aplicar próximo a boca e olhos ou sobre feridas;
  • NÃO permitir que a criança durma com o repelente;
  • Uso junto com protetor solar: Aplica primeiro o protetor, deixa por 20-40min e somente após esse tempo aplicar o repelente. Aplicar ao mesmo tempo reduz o efeito do protetor solar.

 Fonte: Uso de repelente em crianças. Sociedade Brasileira de Pediatria. 2015

* As informações aqui disponíveis são de cunho informativo e não substituem a consulta pediatrica. Qualquer dúvida, entre em contato com o Pediatra da familia.